CASA - 13/07/2020

CAU/ BR discute como reinventar cidades no pós-pandemia


 Debate faz parte de ciclo promovido pelas entidades do Colegiado das Entidades Nacionais de Arquitetos e Urbanistas (Divulação)

"Como reinventar as cidades no pós-pandemia?”. Essa é a questão chave da live com o tema “Cidades Sustentáveis” que o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) promoverá nesta terça-feira (14), em conjunto com outras seis entidades que congregam arquitetos e urbanistas do país. O debate online faz parte de ciclo de seis lives denominado “Novas Cidades 2021”. O objetivo é colher subsídios para a elaboração da “Carta aos Candidatos nas Eleições Municipais de 2020”.

O debate será realizado a partir das 18h30, com duração de uma hora e meia. A transmissão ocorrerá pelas plataformas digitais do CAU/BR (uma delas o Facebook) e pelo portal UOL (canal ECOA), que apoia a iniciativa. A jornalista Cristina Serra fará a mediação.

Participarão da live a deputada federal Angela Amin (PP/SC), ex-prefeita de Florianópolis; o arquiteto e urbanista José Júlio Ferreira Lima, professor da Universidade Federal do Pará; o administrador Philip C. Yang, fundador da URBEM, instituição dedicada à estruturação de projetos urbanos; e Carmen Silva Ferreira, líder do Movimento dos Sem-Teto do Centro (MSTC) de São Paulo.

Além do CAU/BR, promovem o ciclo o IAB (Instituto de Arquitetos do Brasil), a FNA (Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas), a ABEA (Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo), a AsBEA (Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura), a ABAP (Associação Brasileira de Arquitetos Paisagístas) e a FeNEA (Federação Nacional dos Estudantes de Arquitetura e Urbanismo), componentes do CEAU (Colegiado das Entidades Nacionais de Arquitetos e Urbanistas).

A Nova Agenda Urbana, lançada pela ONU na conferência Habitat III, em 2016, teve como principal inovação a proposta de se pensar a cidade em termos de território, como um espaço integrado e não como fruto de políticas setoriais independentes. A cidade deve ser lida como o espaço para a moradia, mas também da produção, da aquisição do conhecimento, do lazer, da convivência etc. Em meio à pandemia de coronavírus, é fundamental relacionar esses temas com a saúde pública e discutir a salubridade das habitações, sobretudo das populações em situação de vulnerabilidade social, traçando estratégias para a garantia do direito à cidade.

O ciclo teve início dia 9 com o tema “Arquitetura e Saúde” e prosseguirá com os seguintes temas:
Dia 16/07: “Governança e Financiamento” (Cidades não se fazem de improviso. Como torná-las menos desiguais?);
Dia 21/07:“Paisagem e Patrimônio” (Qualidade de vida nas cidades: paisagens e história);
Dia 23/07: “Mobilidade e Inclusão” (Circulando pela cidade: novas dimensões da mobilidade urbana).
Dia 28/07: Mesa Conclusiva, encaminhamento da elaboração da “Carta aos Candidatos”.

As lives do “Novas Cidades 2021” deverão ser direcionadas de tal forma a encaminhar propostas concretas aos candidatos aos poderes Executivo e Legislativo municipais, tendo caráter mais propositivo do que de diagnóstico. Os temas serão abordados com transversalidade por quatro debatedores, sendo um arquiteto e urbanista, um especialista no tema específico de cada live, um representante comunitário e um debatedor com viés político. Para conhecer mais detalhes consulte: www.caubr.gov.br/cidades2021/

Veja também