CASA - 22/06/2020

Leo Romano explora cores democráticas do cotidiano em sua quarta coleção de mobiliário



Victor Lisita

Desenhos de poucas linhas que transbordam elegância e identidade. Para a quarta coleção de mobiliário de Leo Romano, o arquiteto e designer manteve o aspecto escultórico de outras coleções e exaltou a tridimensionalidade nos desenhos. Lançada em parceria com o Armazém da Decoração, a linha Preto e Branco remete aos extremos das tonalidades cromáticas, as cores mais democráticas do cotidiano, sendo composta por sofás, mesas, cadeiras, banquetas e objetos de menor dimensão, como cabides, bandejas e caixas. Autoria e autonomia através de traços que expandem conceitos clássicos.

Sem economia de ideias, é a força do mínimo que prevalece para Leo. “O móvel é testemunho do desenho do caderno, no qual é a manobra do gesto que confere personalidade a cada peça”, define. O profissional considera todo o trabalho, não apenas como objetos, mas formas resumidas, passíveis de compreensão imediata por cada pessoa.

A interação entre o desenho das linhas com a forma final de cada peça, de acordo com Leo, é deixar nítida a intenção poética, entregue através de uma minimização de traços e da matéria-prima. “A geometria é a essência das linhas. Conceitualmente, subtraí uma parte de um cilindro de madeira, tornando a forma uma escultura. Acredito que seja o elemento mais simbólico da coleção”, detalha. Muito além de apenas atenção e serenidade, o profissional acredita que delicadeza é a chave para compreender como a forma se funde com ternura ao conjunto.

Longe de ficar apenas no campo das ideias, o arquiteto não deixou de levar um pouco da própria subjetividade para o projeto. Com muito afeto, ele também alude as cores à Alice, uma dálmata que é parte da família Romano. A partir de um pensamento maduro, Leo evita excessos e organiza os detalhes para chegar a um resultado elegante.

Balanço "Preto e Branco" (Fotos: Renderização / Leo Romano)

Banqueta "Branca"

Banqueta "Bola branca"

Mesas lateral e de centro Vasco

Sofá Clube

Matéria publicada na 44ª edição da revista Zelo*

Veja também